Projeto memória: 150 moradores de Bonsucesso lutaram na II Guerra Mundial

A EQUIPE DO JORNAL PAUTA POPULAR TEVE ACESSO EM UMA DE SUAS PESQUISAS A DOCUMENTOS E ENTREVISTAS QUE CONTAM A HISTÓRIA DE BONSUCESSO. FATOS AINDA INÉDITOS, QUE SE MANTÉM APENAS NA MEMÓRIA DO COLETIVO SOCIAL.

No decorrer desta terça-feira (02), o Pauta irá publicar trechos de uma reportagem que revela e esclarece pontos fundamentais na história do bairro.

Confira abaixo o terceiro capítulo.

“Calçamento

 O calçamento chegou às ruas de Bonsucesso a partir de 1935, seguindo um planejamento global do engenheiro Soares Pereira, e graças mais uma vez, ao Comendador Sinibaldo Macillo. Foi o fim dos grandes lamaçais que se formavam nos dias de chuva. Em 1945, as principais ruas estavam calçadas.

 – A arborização também foi uma conquista minha, diz o comendador. Começou em 1936, na Rua Cardoso de Morais.

 Praça das Nações

 – Bonsucesso foi feito seguindo um planejamento, onde grandes números de ruas começavam em um largo, que se chamou Praça das Nações. O Calçamento da praça foi feito em 1928, no tempo do Prefeito Prado Júnior, e com a fiscalização direta do Presidente Washington Luís.

 – Certa vez, o Presidente esteve no local. Bateu com a bengala no chão e descobriu que não havia a base de macadame. Mandou que desmanchassem e fizessem todo o serviço de novo.

 – Em 1937, foi levado para a Praça das Nações o Lampadário, chafariz que se encontrava abandonado no Maracanã. Já a caminho da sucata. E, no mesmo ano, foi construído o coreto, onde havia retretas e que foi derrubado com a reforma da praça há pouco tempo.”

FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA: OS PRACINHAS DE BONSUCESSO

febO Sr. Sinibaldo foi um dos responsáveis pela construção do monumento à Força Expedicionária Brasileira, na Praça das Nações, de onde saíram, para os campos de batalha da II Grande Guerra, 150 pracinhas, dos quais cinco morreram em combate.”

Água

 – Para conseguir água, tive que procurar os canos. Isto foi em 1925. Estive com o Ministro Francisco Sá, de Viação e Obras, do Governo Artur Bernardes, pedindo a canalização de água para Bonsucesso. Ele apontou o grande problema – falta de recursos. Então, eu lhe propus que se fizesse mesmo com sobras de canos, que ele me autorizou a procurar nos depósitos do Estado.

 Na busca, fui parar no depósito da estação de Rio Douro, da estrada de ferro do mesmo nome, onde encontrei toneladas de tubos, dos mais diversos calibres, há vários anos enterrados na lama e cobertos de capim, e cuja existência, a administradora desconhecia.

 Em 1927, estava pronta a canalização de água para Bonsucesso.

 Igrejas

 Bonsucesso têm duas paróquias consagradas a Nossa Senhora de Bonsucesso – uma de cada lado da linha do trem.  A da direita, na Rua Olga, existe há muito tempo. Era uma capelinha e foi remodelada há pouco tempo.

 – Do lado esquerdo da linha, na Rua General Galiene, a Igreja de Nossa Senhora de Bonsucesso, construída pelos moradores, foi o primeiro prédio de cimento daquela área. A pedra fundamental, lançada em 1929, foi benzida pelo Bispo Dom Mamede da Silva Leite, na presença do então deputado Henrique Dodsworth, sobrinho do doador do terreno Paulo de Frontin.

 – Um ano depois, em 16 de julho de 1930, foi inaugurada. Para a construção, dois terços dos recursos vieram de fora, conseguidos pela comissão de obras, encarregada da execução do prédio. A igreja em tamanho menor é uma cópia fiel da Catedral de Colônia, na Alemanha, e nós a chamávamos de “a nossa pequena catedral”.

 – O primeiro pároco de Bonsucesso foi Frei Ilarião, dos padres Mercedários, um italiano. Em 1927, chegou o segundo, atual Monsenhor Aramis Serpa, que acompanhou toda a construção e ainda hoje está a frente da igreja.

 – Nos primeiros tempos, o padre tinha que sair de bengala, para se defender, conta o comendador. Era hostilizado por comunistas e desocupados que o chamavam de “viúva” e “homem da capa preta”. Aos poucos, entretanto, ele foi conquistando o respeito por todos, até dos que o hostilizavam a princípio”.

 

Continua…

Anúncios

2 comentários em “Projeto memória: 150 moradores de Bonsucesso lutaram na II Guerra Mundial

  1. Devemos todos a esses grandes herois!! Que combateram o mau absoluto. Se os nazistas tivessem vencidos,a infelicidade seria geral. Bonsucesso dei sua grande contribuiçao!! Vivas eles!!

    Curtir

  2. Amigos do Jornal Pauta Popular.

    Gostaria de homenagear a linda iniciativa de resgatar a história do Bairro. Desde que voltei a morra no bairro, depois de 22 anos fora, fiquei muito triste de ver pontos de nossa história sendo completamente depredado. E uma da cenas que mais me comoveu, foi ver o memorial ao nosso queridos Pracinhas em estado calamitoso, meu tio foi um desse heróis, que no raiar de sua juventude se lançou nessa aventura.
    Mais uma vez parabéns pela iniciativa.
    Att.
    Denilson B. Esposito

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s